sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Consequências da Radioatividade

-Efeitos da Radiação-

Quando atingido pela radiação é impossível perceber imediatamente já que, diferente de uma bala de revólver, por exemplo, cujo efeito é constatado na hora, a radiação não provoca nenhuma dor ou lesão visível.
Ela ataca as células do corpo individualmente, pode afetar os átomos que estão presentes nas células provocando alterações em sua estrutura.

Os efeitos da radiação podem ser em longo prazo, curto prazo ou somente apresentar problemas aos seus descendentes (filhos, netos), pois uma pessoa que recebeu a radiação sofre alguma alteração genética produzida pela radioatividade.



-Efeitos biológicos da Radiação-


Em 1899, dois médicos suecos conseguiram curar um tumor de pele na ponta do nariz de um paciente, e em 1903 um médico americano obteve a diminuição do baço de um paciente com leucemia.


O uso do raio-X na terapia estava, entretanto, produzindo resultados desagradáveis. Eritema de pele e a seguir ulcerações se desenvolveram nas mãos dos médicos e em alguns casos, câncer dos ossos, como resultado das exposições durante o tratamento dos pacientes.

Desde então não só os benefícios trazidos pela radiação mas também seus efeitos danosos têm interessado os cientistas de todo o mundo.


Os estudos dos mecanismos básicos da radiobiologia permitem análises microscópicas do que ocorrem com a passagem da radiação e liberação de energia em volumes muito pequenos como em células ou parte de células.


A energia liberada pode produzir ionização e excitação dos átomos e quebra das moléculas e, como consequência, formação de íons e radicais livres altamente reativos. Estes, por sua vez, podem atacar moléculas de grande importância como a molécula de DNA do núcleo da célula, causando-lhe danos.


A destruição de uma molécula de DNA resulta numa célula capaz de continuar vivendo, mas incapaz de se dividir.

Assim, a célula acaba morrendo e não sendo renovada. Se isso ocorrer em um número muito grande de células, vai haver um mau funcionamento de tecido constituído por essas células e, por fim, a sua morte.



-Lixo Radioativo-


O lixo nuclear ou radioativo é formado por resíduos com elementos químicos radioativos que não têm ou deixaram de ter utilidade.

É usualmente o produto resultante de um processo de fissão nuclear, do material utilizado como combustível nos reatores, do uso armas nucleares ou ainda de laboratórios médicos ou de pesquisas.

A destinação do lixo radiativo é um dos problemas mais sérios resultantes do uso da energia nuclear, podendo ainda ser oriundo de outros usos, tais como o lixo hospitalar.

A radioatividade deste material diminui com o tempo. Todo radioisótopo tem uma meia-vida, ou seja, o tempo necessário para perder metade (½) de sua radioatividade. Eventualmente todo lixo radioativo decai para um elemento não-radioativo. Por exemplo: passados 40 anos, a maioria dos resíduos de combustível nuclear perde 99,9% de radiação.



Por: Levi Murici ( Admin )

6 comentários:

  1. A radioatividade é provavelmente a forma de poluição que causa mais medo. Não é como as outras, que podem ser vistas ou cheiradas. Seus efeitos sobre os seres vivos não podem ser sempre previstos e demoram muitos anos para se manifestar.
    estamos sempre expostos a essa poluição.Até o propio raio-x usado nos hospitais e uma grande arma contra os seres vivos

    ResponderExcluir
  2. Os efeitos da radiação

    Ser atingido por radiação é algo sutil e impossível de ser percebido imediatamente, já que no momento do impacto não ocorre dor ou lesão visível. Bem diferente de ser atingido por uma bala de revólver, por exemplo, cujo efeito destrutivo é sentido e contatado na hora.

    A radiação ataca as células do corpo individualmente, fazendo com que os átomos que compõem as células sofram alterações em sua estrutura. As ligações químicas podem ser alteradas, afetando o funcionamento das células. Isso, por sua vez, provoca com o tempo conseqüências biológicas no funcionamento do organismo como um todo; algumas conseqüências podem ser percebidas a curto prazo, outras a longo prazo.; às vezes vão apresentar problemas somente os descendentes (filhos, netos) da pessoa que sofreu alguma alteração genética induzida pela radioatividade.

    ResponderExcluir
  3. Lixo nuclear

    O lixo produzido nas usinas pode durar até 100 mil anos, sendo necessárias políticas de longo prazo.

    Além disso, é extremamente importante que hajam leis mais eficazes contra o despejo do lixo nuclear em lugares não apropriados. Isso faria com que países emergentes pudessem se desenvolver mais em termos de fontes de energia e houvesse mais empregos nas áreas de produção, transporte e abastecimento.

    ResponderExcluir
  4. Nem todo produto hospitalar radioativo vai para um local apropriado, muitas vezes eles misturam com lixo comum e isso pode prejudicar toda sociedade.

    ResponderExcluir
  5. Curiosidades sobre Lixo Radioativo:

    - O lixo nuclear pode levar de 50 a 100 anos para perder toda sua radiação.
    - No Brasil, ocorre a produção de lixo nuclear nas Usinas Atômicas de Angra I e Angra II, situadas em Angra dos Reis (RJ).

    Luma Adriele Melo.

    ResponderExcluir
  6. A radiatividade é processo natural decorrente a liberaçao de energia de um nucleo atomico cujo reaçao afetam os numeros de protons e neutrons. O anbiente em que vivemos é totalmente radioativo, uma pessoa que recebe a raioattividade ela nao percebe logo de imediato as consequencias vao aparecendo depois podendo afetar seu dna sofrendo ateraçao genetica

    ResponderExcluir